Projeto ESTAÇÕES DE LOTUS Projeto UAIMII EU CUIDO Blog Sobre o Instituto Contato
Cadastre-se
Entrar
Projeto ESTAÇÕES DE LOTUS Projeto UAIMII EU CUIDO Blog Sobre o Instituto Contato
Categorias


A idéia nasce da necessidade de revitalização e estruturação do turismo nas regiões de São Sebastião das Águas Claras e Brumadinho. Com o intuito de estabelecer uma rota segura para moradores visitantes e turistas nacionais e internacionais e conectar regiões suas culturas seus produtos e suas pessoas. 

Acreditamos que simplificar acessos é uma forma de fomentar o turismo da região e de revitalizar as comunidades trazendo de volta a dignidade para as pessoas que vivem nestas regiões. 

Assim nasce o circuito de estações de ônibus elétricos no modelo “Hop on Hop off” (com subidas e decidas ilimitadas)  em uma linha verde em todos os sentidos desenvolvido pelo Instituto Sebastião.


Acreditar na floresta no verde que nos envolve. É o que nos move no sentido de cuidar proteger e gerir. Uma floresta rica em fauna e flora de mata resiliente pela extração de Candeia árvore sagrada. Amor a vida e ao convívio de sensibilidade social e competência ambiental. 

Entender que juntos podemos mais abraçar nosso meio ambiente e assim trasforma-lo e mante-lo em um lugar cada vez melhor. Perceber as estações do ano vivenciar as localidades sua cultura e sua gente. Envolver pessoas de coração aberto e ser envolvidas por elas. 

Após a abertura da reunião, feita com o acolhimento da Presidente do Instituto, Rosana Bittermann, Rodrigo Janot apresentou suas primeiras considerações. Janot citou as primeiras ações que ele e seu sócio, Márcio Rosa, já haviam executado, incluindo um encontro com o Governador de MG para apresentação dos prejuízos que a região de Macacos vem sofrendo com os riscos de rompimento principalmente da Barragem B3/B4, da Vale.

O Ex-Procurador Geral da República falou da importância de chamar a atenção da Vale,  Prefeituras, Estado e Governo Federal, para os problemas e seus alcances causados por possíveis tragédias que possam ocorrer como as de Brumadinho e Mariana. Rodrigo Janot explicou que os acordos individuais podem ocorrer porém recomendou que as ações coletivas são mais fortes e que, se possível, devem vir antes das individuais.

Segundo ele, a questão da reforma e liberação pela Vale da Estrada de Campo do Costa é urgente, pois permitirá uma segurança maior para todos, através de uma rota segura de transporte, fuga e abastecimento de água, em caso de rompimento da B3/B4.

Antes de abrir para as colocações dos presentes na reunião, Márcio Rosa apresentou suas considerações. Rosa falou da importância do preenchimento das fichas, cadastrando os moradores e empresários com histórico e prejuízos que estão sofrendo, possibilitando um efetivo trabalho das NACS (Núcleos de Ações Coletivas), organizadas pelo Instituto Sebastião. O Advogado falou também do péssimo exemplo de Mariana, onde os trabalhos de reparação de danos não estão sendo bem executados, e chamou à atenção para que esses processos de reparação possam ser feitos por instituições escolhidas pelas comunidades, e não pela Vale, frisando que os acordos individuais feitos com as mineradoras, não devem nunca dar quitação total aos danos. Em comum com a Janot, Márcio Rosa disse da importância da ação da população apresentando os problemas ao Ministério Público e Defensoria Pública, chamando mais atenção às necessárias e urgentes demandas.

Após as considerações dos renomados advogados, o Instituto Sebastião deu a palavra para os presentes, que apresentaram seus prejuízos e solicitações. Dentre os assuntos foram discutidos: a questão das vias seguras e emergenciais, como a abertura e reforma da Estrada Campo do Costa( incluindo seus acessos), ações que devem ser tomadas principalmente pela Vale; elaboração de laudos corretos sobre a segurança das seis barragens que podem afetar Macacos, incluindo a maior delas, a Mutuca; definição correta das áreas das possíveis “manchas”; treinamento da população para casos de rompimentos de barragens;  reparação emergencial para o comércio e pousadeiros do distrito; apoio aos indivíduos que estão sofrendo com problemas de saúde físicos e emocionais, por causa da pressão estabelecida, onde o “stress está em fase de alerta”; elaboração e apresentação de planos emergenciais por parte da Copasa e Cemig; solução para os problemas de segurança que a população vem sofrendo, incluindo os assaltos às moradias, como os casos do Parque do Engenho, com acesso bloqueado; e a preservação do lençol freático da região.

A presidente do Instituto Sebastião falou da importância da união de todos de Macacos, para solução dos problemas apresentados no encontro e do necessário agrupamento dos moradores de acordo com as relativas NACS ( Meio Ambiente, Desvalorização Imobiliária, Danos Morais, Segurança, Comércio, Bares e Restaurantes, Pousadas, Prestação de Serviços, Patrimônio Cultural e Educação), organizadas pelo IS. Mais uma vez, Rosana apresentou o site do Instituto Sebastião( www.isebastiao.com.br)  como canal de comunicação  e informou aos presentes que o grupo que compareceu às reuniões está aberto a novos convidados, que queiram se unir em ações coletivas que serão elaboradas pelo escritório dos advogados Rodrigo Janot e Márcio Rosa, parceiros do Instituto Sebastião na busca por soluções para as reparações de danos sofridos pelas Barragens das Mineradoras nas regiões de Macacos e Brumadinho.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, inaugurou nesta sexta-feira 14 de junho, a Estação Cidadania de Brumadinho (MG). O projeto é destinado a programas e ações culturais, práticas esportivas, lazer, formação e qualificação profissional, serviços socioassistenciais e políticas de prevenção à violência. Osmar Terra aproveitou para anunciar um pacote de medidas para ajudar a recuperar a atividade econômica e a autoestima da comunidade de Brumadinho

A Estação Cidadania faz parte da Aliança por Brumadinho, pacote de medidas firmado com a iniciativa privada e o terceiro setor que visa à reconstrução do município e inclui iniciativas nas áreas de desenvolvimento social, educação, saúde, cultura,turismo, esporte, infraestrutura, meio ambiente e segurança pública.

Com quadra poliesportiva, salas para capacitação profissional, biblioteca e uma unidade do Centro de Referência da Assistência Social, o projeto tenta resgatar a autoestima da comunidade e estimular a economia local, castigada pela ruptura da barragem da Vale na cidade.

O Ministério do Turismo vai analisar a viabilidade técnica de um projeto do Instituto Sebastião, de Minas Gerais, para resgatar o turismo e promover o desenvolvimento sustentável de Brumadinho e Nova Lima. Os dois destinos turísticos mineiros, por meio de ação comunitária apoiada pela iniciativa privada, pretendem implantar uma rede de sete estações de ônibus elétricos integrada a um trem de passageiros entre a capital, Belo Horizonte e as cidades.

O circuito turístico, batizado de Estações de Lótus, levaria visitantes aos principais atrativos da região, como o Museu de Inhotim, em Brumadinho, e a outros distritos, a exemplo de Macacos e Jardim Canadá, em Nova Lima, com grande diversidade de recursos naturais. O cenário composto por montanhas e cachoeiras também é rico na oferta de atrativos da gastronomia mineira e reúne variadas cervejarias artesanais, além de uma rede estruturada de meios de hospedagem.

O gestor de projetos do Instituto Sebastião, Daniel Vaz, e a vice-presidente, Fernanda Perdigão, apresentaram o projeto ao ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, ao secretário-executivo do MTur, Daniel Nepomuceno, e ao secretário nacional de Estruturação do Turismo, Robson Napier. A entidade foi criada para incentivar a retomada do turismo na região, fortemente impactada pelos riscos da atividade mineradora. Marcelo Álvaro reconheceu a importância da proposta e reforçou o posicionamento do MTur de apoiar ações que contemplem o turismo regional.

“Precisamos discutir e encontrar formas de incentivar a recuperação do setor de viagens, que é tão importante para essa região de Minas Gerais, uma das mais procuradas do entorno de Belo Horizonte. Tanto Macacos quanto Brumadinho podem manter a atividade do setor e ajudar a recuperar a economia local através do turismo e com o nosso apoio”, afirmou o ministro.

Ainda no encontro, ficou definido que o Circuito Estações de Lótus deverá ser desenvolvido em conjunto com a proposta de transportar passageiros por meio de uma linha férrea já existente na região. O MTur vai propor uma reunião com o Instituto Sebastião, a Oscip Apito e o ELO Group, envolvidos na discussão, a fim de unir os dois projetos e fortalecer a retomada do turismo em Nova Lima e Brumadinho.

A iniciativa já havia sido discutida previamente com lideranças do trade turístico local durante uma visita do ministro Marcelo Álvaro ao distrito de Macacos, no final de março. Na ocasião, foram discutidas formas de reverter perdas ao turismo geradas por riscos e impactos da mineração.

Na noite de ontem 05 de Junho de 2019, o Instituto Sebastião promoveu um encontro com representantes da comunidade de Macacos, para obter informações individuais para a formulação de ações coletivas, referentes aos prejuízos sofridos após o acionamento da sirene alertando sobre o possível rompimento da Barragem B3/B4. Os moradores foram separados em Nacs ( Núcleo de ações coletivas) de acordo com o dano ocorrido. As Nacs foram divididas em Meio Ambiente, Desvalorização Imobiliária, Danos Morais, Segurança, Comércio, Bares e Restaurantes, Pousadas, Prestação de Serviços, Patrimônio Cultural e Educação. Os atingidos foram cadastrados em fichas individuais, apresentando danos e prejuízos sofridos. Para cada presente ao encontro  foi dada a oportunidade de participar de  três  NACS, que servirão de base de dados para a construção das ações coletivas que serão formuladas por Rodrigo Janot e Márcio Rosa.

Na manhã dessa quarta-feira, dia 3 de julho,  representantes do Instituto reuniram-se com o prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo Barcelos, e o Secretário de Obras,  Alcimar Barcelos para lhes apresentar  o  Instituto Sebastião e o Projeto Circuito  Estações de Lótus.

A Presidente do Instituto, Rosana Bittermann, e a Vice-Presidente, Fernanda Perdigão, fizeram um breve histórico da criação do Instituto, que a partir da união do distrito de Macacos com o município de Brumadinho, se fortaleceu para melhor atender às demandas  das comunidades atingidas pelos impactos das mineradoras, favorecendo a recuperação socioeconômica  das regiões afetadas.

Daniel Vaz, Gestor de Projetos do Instituto Sebastião, iniciou a apresentação do Circuito Estações de Lótus, informando que ao primeiro momento, serão construídas sete estações em polos turísticos das regiões de Macacos e Brumadinho,  interligadas por ônibus elétricos, onde a partir de um único ticket, o turista poderá fazer quantas viagens quiser durante o dia. Daniel informou ao prefeito  que o Ministério do Turismo já encaminhou o projeto para o  programa “Aliança por Brumadinho”, coordenado pelo Ministério da Cidadania.

As Estações de Lótus fornecerão uma boa estrutura de apoio aos turistas oferecendo:  centro de informações turísticas, Wi-Fi, mirantes, lanchonete, sala de biodiversidade  e meio ambiente, e venda de produtos locais. Tudo para fomentar o Turismo através de rotas seguras e transporte sustentável.

O Prefeito de Brumadinho demonstrou total apoio ao Instituto Sebastião e ao Circuito Estações de Lótus, inclusive atendendo ao pedido para a doação de uma escola, que está fechada no distrito de Marques, para ser a sede do Instituto Sebastião em Brumadinho.



"O turismo no distrito de Macacos, Nova Lima, e no município de Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi sempre voltado para quem busca tranquilidade e contato com a natureza, bem como a boa gastronomia, meios de hospedagem em locais naturais aconchegantes e acolhedores próximos à capital. Diante do cenário atual envolvendo os riscos da exploração minerária, com os vários alertas de rompimento de barragens e a tragédia de Brumadinho, os empresários do setor turístico se viram obrigados a desenvolver novas estratégias para a retomada das atividades turísticas em um novo cenário seguro. Vejo ações, como a criação do Instituto Sebastião, como sendo uma das possibilidades de retomada do turismo nas regiões afetadas por barragens, pois a iniciativa de unir Macacos e Brumadinho favoreceu o surgimento de projeto como o Circuito Estações de Lótus que

visa a criação de uma opção de turismo favorecida por rotas seguras através de meio de transporte sustentável entre a capital passando pelas regiões citadas. Sinto que a ferramenta para a retomada do turismo deva partir de ações coletivas, envolvendo as comunidades de forma a garantir rotas seguras através de meio de transporte sustentável. O Circuito Estações de Lótus está, inclusive, na fase de unificação com o Projeto de Linhas Férreas. O  que reforça minha visão de coletividade e união."

Fonte: Jornal TUDO BH